All posts filed under: comportamento

Estamos vivendo ou só competindo?

Eu li 21 livros em 2020. Para algumas pessoas, esse número pode parecer altíssimo. Para outras, apenas normal. Há ainda um terceiro grupo que achará essa informação simplesmente desprezível. Tudo vai depender do repertório de quem, por um acaso, resolver fazer as contas de quantos livros leu esse ano, e, então, comparar a própria marca com a minha. E se você está fazendo isso nesse momento, já se perguntou se esse hábito da comparação, como se a vida fosse uma grande e infinita competição, te faz bem?  Já tem um tempo que descobri que comparar-se com os outros é uma completa roubada. Lendo algumas coisas sobre esse tema – e fazendo muita terapia – aprendi que o mais indicado para não nos frustramos seria nos compararmos apenas com nós mesmos. Com o seu eu do passado, seja a sua versão de dez anos atrás, seja sua versão de ontem. Afinal, quem melhor do que eu mesma para dizer se 21 livros em um ano é algo bom, mediano ou ruim?  Ninguém, além de mim mesma, …

Por que biscoitas?

Em plena pandemia, tem gente curtindo a vida adoidado e ainda pedindo biscoito na internet com fotos incrivelmente felizes, no meio da galera, de festas ou de lugares maravilhosos, o que com frequência nos faz pensar: descobriram a vacina e não nos avisaram? Não me eximo da culpa, também posto uma coisinha ou outra eventualmente. Afinal, alegria completa é alegria compartilhada, não é mesmo? Quando tem like (a.k.a, biscoito) então, vixe, aí é dopamina lá em cima. Com tanto estímulo, fica difícil tirar o olho do celular e enxergar adiante. Mas será que, em 2020, um ano em que as pessoas estão desesperançosas e cansadas mentalmente, o “cada um por si” virou o novo normal? Ainda há espaço para a empatia nas nossas vidas, com o mundo (literalmente) pegando fogo? Estou falando de biscoito e de empatia no mesmo texto porque acredito que uma coisa tem a ver com a outra: quando estamos determinados em conseguir nosso biscoitinho, estamos focados em nós, e não no outro. Frequentemente eu mesma me pergunto: como é que a …

Piazza San Pietro Roma

Você quer ser linda para você…ou para os outros?

* English version below  A gente tem umas bobeiras na adolescência, né? A imagem é algo muito importante nessa fase da vida e parecer belo aos olhos dos outros é um privilégio de poucas. Sim, porque a maioria vai ter um “defeito” pra virar alvo de piada. Tem a gorda, a magrela, a que tem muita espinha, a que tem muito peito (ou a que não tem nenhum), a que tem o cabelo “assim” ou “assado”….enfim, a lista é infinita.Tenho lido muito a respeito de insatisfação corporal e uso os adjetivos acima no feminino porque as mulheres, historicamente, sempre foram mais cobradas que os homens para se encaixar nesse tal padrão de beleza. Quando eu tinha meus 11, 12 anos, não gostava muito do meu nariz. Na verdade, eu até gostava, mas aí me mudei de prédio, fiz uma turminha nova e, no julgamento deles, meu nariz era grande demais.  Acreditei nisso por um tempo. Mas, felizmente, venho de uma família amorosa que sempre me mostrou que eu era suficientemente linda aos olhos deles. E que …

E o tempo que a gente perde cuidando da imagem? Vale a pena? 

Às vezes fico pensando que eu poderia ter chegado em Harvard se tivesse dedicado aos estudos o mesmo tempo que gastei, ao longo da vida, cuidando da minha imagem. E olha que não sou das pessoas mais vaidosas do mundo. Não vou a salões de beleza, não faço tratamentos estéticos, nunca fiz plástica e a última vez que passei esmalte na unha faz uns seis meses.  Por outro lado: frequento academia, aplico creme no rosto todo dia (de manhã e à noite); sempre passo, além do protetor solar, pelo menos um blushezinho e um rímel antes de botar a cara no sol (e jamais durmo de maquiagem); lavo o cabelo diariamente, faço depilação a cada quinze dias….Frequentemente também perco uns bons minutos antes de sair de casa com dúvidas sobre o que vou vestir. A ideia aqui não é limitar os cuidados com a beleza à uma simples futilidade.  Também não estou dizendo que ser desleixada é o caminho para a felicidade suprema.    Apenas constatei, especialmente nos últimos anos, que muitas dessas rotinas que segui …

Mindfulness para perder peso é mito ou verdade? 

Sempre que surge uma nova promessa de emagrecimento, o assunto vira moda. Começam a sair mais matérias sobre o tema, além de muitos depoimentos de famosas falando sobre a nova dieta, treino ou alimento da vez.  Isso aconteceu com o Mindfulness, que até pouco tempo atrás não era uma prática muito discutida no Brasil, mas foi ganhando espaço aos poucos, graças ao avanço da Nutrição Comportamental. O método incentiva as pessoas a praticarem a atenção plena, o que é algo muito difícil no mundo atual, cheio de estímulos tecnológicos. Já foi comprovado que conseguir se conectar com o momento presente pode ter muitos efeitos positivos, como a diminuição do estresse e até o aumento da produtividade. Uma das vertentes dessa técnica é o Mindful Eating, e hoje também já se sabe que a capacidade de comer prestando atenção no alimento ajuda a diminuir a compulsão e o exagero.  Mas quando se trata de emagrecimento, nem sempre é fácil distinguir o que é verdade do que é sensacionalismo. Felizmente, a ciência está aí para fazer o …

Macy’s é acusada de incentivar transtornos alimentares com pratos polêmicos

“Mom jeans” é um termo usado para um estilo de calça que é sinônimo de conforto: cintura alta e um corte mais “retão”. É considerado por muitos como pejorativo, afinal…são tantas mensagens implícitas…e isso me lembrou dessa excelente sátira:  Uma polêmica que rolou aqui nos Estados Unidos essa semana exemplifica perfeitamente como os estereótipos em torno do corpo feminino são propagados. Vou contar essa historinha aqui (que na minha opinião, teve final feliz). A Macy’s é uma loja super tradicional e reconhecida nos “states”. Quem já visitou sabe, é uma loja de departamentos gigantesca, com mil andares. Ou seja, não é só é uma loja, é um lugar turístico, visitado por gente do mundo todo. Pois bem. A Dona Macy’s achou por bem revender em suas lojas uma linha de pratos um tanto quanto polêmica.  O desenho do prato mostra basicamente que o tamanho da porção que você come é o que define o tamanho do seu jeans: a porção maior é “Mom jeans”. A média, “Favorite jeans”. E a menor, ó, que surpresa, “Skinny …

Golden Gate Bridge - San Francisco, California

Você se sente representada no Insta? Saiba por que isso importa

Não foi à toa que escolhi essa foto para ilustrar esse texto. Nela, você vê um cartão postal, uma menina sorridente e… só. Se você é usuário do Instagram, provavelmente vai ter acesso a centenas de outras fotos parecidas com essa ao longo do dia.  Vai ver pratos incríveis, praias com águas cristalinas, casais apaixonados, best friends forever, looks do dia…e muitos, mas muitos corpos considerados “perfeitos” para o padrão de beleza atual.  Diversas pesquisas têm mostrado que as redes sociais estão bagunçando a saúde mental das pessoas, justamente porque esse bombardeio de estímulos acaba sendo um gatilho para a comparação constante e a sensação eterna de que a vida de todo mundo é incrível – menos a sua.  Esse tipo de frustração pode ter origens diversas, mas acredito que uma das significativas é a falta de representatividade e de identificação. Especialmente no que diz respeito ao corpo feminino. Na era do empoderamento da mulher e de uma maior conscientização sobre o feminismo (amém, MULTIPLICA, SENHOR!), ainda falta muito para vermos uma maior diversidade de …

A repórter gorda te incomoda? A mim, sim

Nem vou entrar no mérito de que nós, mulheres, temos que provar duas vezes que somos boas em algo para sermos validadas. Você quer ser mãe e profissional ao mesmo tempo? Então se vira aí com seus sentimentos pós-parto, desapega logo dessa cria e, por favor, volte a malhar, porque “ai” daquela que ousar não perder os quilos rapidamente. Recentemente virou notícia o caso da repórter Michelle Sampaio, da TV Vanguarda, afiliada da Globo, que foi dispensada da emissora depois de muitos e muitos anos de casa. O motivo seriam os quilos que ela ganhou na gravidez e não conseguiu eliminar, segundo contou no Instagram e em algumas entrevistas. A emissora nega. Mas o curioso dessa história é o efeito que esse desabafo causou entre outras colegas da imprensa, que também vieram a público falar da pressão estética que sofriam dentro da mesma emissora. Sabe o movimento #metoo? Ou o caso João de Deus? É basicamente isso: uma única voz solitária e corajosa é capaz de abrir as portas para outras milhares que estão oprimidas. …

Autoimagem5 CC

Bruna Marquezine “magra demais”: por que o corpo alheio incomoda tanto?

A essa altura, você já deve estar sabendo que um dos assuntos mais comentados da semana foi o desabafo da Bruna Marquezine no Instagram sobre as críticas que ela vem recebendo sobre seu corpo. Sim, ela recebe comentários negativos, mesmo tendo aquele corpo, mesmo estando 100% dentro do padrão considerado bonito, mesmo postando fotos absolutamente incríveis com looks que nem 0,0001% das pessoas que eu conheço conseguiria pagar, em cenários igualmente deslumbrantes. Em tempo: eu não sigo a Bruna Marquezine, de modo que não me ocorreu que ela recebesse críticas, muito menos pela aparência.  Se você pegou o bonde andando, aqui vai um breve resumo: aparentemente, algumas pessoas acham que ela está “muito magra” e, por isso, se acham no direito de falar o que bem entendem nos comentários das fotos que ela posta. Às vezes sob a desculpa de que estão preocupados com a saúde da moça (Oi? Roupa no tanque pra lavar, não tem?), e às vezes de forma maldosa mesmo. Tecem comentários grosseiros, com argumentos absurdos. “Desse jeito vai ficar anoréxica”, “Cuidado …

Cirurgia Plastica Pierre Best

Cirurgia plástica no Brasil, segundo lugar no mundo. Até quando?

Eu achava que cirurgia plástica no Brasil era coisa de gente rica até me deparar com um documentário muito bom que está disponível no Youtube, Brazil’s plastic surgery obsession, do canal Unreported World. É interessante que um canal de fora do País olhou para um assunto que eu, de dentro da minha bolha, nunca tinha parado para pensar: as mulheres periféricas também fazem cirurgia plástica. O impulso é o mesmo em qualquer classe social – reproduzir o que se consome todos os dias nas revistas, nas novelas, no Instagram: um padrão de beleza baseado na magreza, extremamente excludente e opressor. Algo que influencia, da mesma forma, TODAS as mulheres – independente da conta bancária, do nível de escolaridade ou da região onde mora. Eu realmente acho que todo mundo tem o direito de fazer o que quer com seu próprio corpo e melhorar o que não gosta. O que me intriga é a motivação – por que estamos cada vez mais insatisfeitas com nossos corpos? Que corpo perfeito é esse que faz muitas mulheres se …