inspirações
comments 2

E o filho, vem quando?

Eu tenho 39 anos e ainda não decidi se quero ter filhos. E essa dúvida existe há tanto tempo na minha cabeça que hoje posso dizer que me sinto até confortável com ela: não me culpo mais. Também já não me importo mais com a perguntinha do título. Já me irritei muito, mas aprendi que a mulher nunca tem paz, com filho ou sem filho. Se tá solteira: “quando é que casa”?. Se casou: “e o filho, vem quando?”. Se teve filho: “não vai dar um irmãozinho?”. Se engordou: “Precisa perder uns quilinhos, hein?”. Se emagreceu: “Nossa, precisa se cuidar, tá muito magrinha”. Olha, cansa.

Mas por muito tempo acreditei que eu tinha algum problema simplesmente pelo fato de ter essa dúvida e não conseguir me decidir por algo que parece tão óbvio e natural para toda a espécie feminina. Pelo menos é assim que nos contam. Filho é uma dádiva, não é? Como é que eu posso ter dúvida se quero essa benção, esse presente de Deus, esse “amor que só quem é mãe conhece?”. 

Até pouco tempo atrás achava esse tema delicado e jamais teria coragem de escrever sobre isso. Mas nas minhas conversas obscuras (tipo de coisa que não dá muito pra conversar em público sem ser julgada) com mulheres que também têm esse tipo de dúvida percebi que, assim como todo tema que é tabu, esse era um que deveríamos trazer mais pra roda.

Até porque, por mais que as coisas tenham melhorado – um pouquinho – ainda se fala muito pouco sobre mulheres que não sentem o desejo de ser mãe, ou ainda não se decidiram em uma idade considerada “crítica” como a minha (passou dos 35, é ladeira abaixo, eles dizem). 

Onde estão essas mulheres?

Também sinto que ainda há pouca representatividade desse tipo de questão nas obras de ficção, como nas séries e filmes por exemplo. Novela nem se fala, né? Final feliz não é feliz se não tem chuva de arroz e mulher grávida em TODOS os núcleos – do rico ao pobre, do barraqueiro ao classudo, do Leblon ao morro. Como se o maior (e único) sonho de toda mulher fosse casar e ter filhos.

Não acho que eu deveria me justificar, mas vale dizer que eu não tenho nada contra a maternidade, nem contra crianças, muito menos contra bebês. Eu acho todo esse universo fofíssimo e pode ser que daqui a algum tempo eu mude de ideia e saia por aí praticando algumas das coisas mais estrambólicas da face da terra como MESVERSÁRIO ou algo do tipo.

Mas por enquanto eu gostaria de defender o direito de ter essa dúvida. E seria muito bom que as pessoas passassem a respeitar e a honrar essa escolha da mulher – ainda que a escolha seja a dúvida!

Antes de perguntar, repense

Já imaginou quantas mulheres ouvem a tal frase “e o filho, vem quando?”, e se sentem mal por isso? Quantas estão tentando engravidar e não sabem o que responder neste momento? Quantas não podem ter filhos, e não se sentem à vontade para falar sobre isso no meio de um churrasco (típica situação que sempre surge esse tipo de perguntinha)?

Então, se você vai perguntar isso para uma mulher, repense.

Ela é sua amiga próxima? Vocês têm intimidade para falar sobre isso (sim, isso é um assunto íntimo e só diz respeito à mulher e, no máximo, ao parceiro dela se é que ela tem um)? Ela te pediu alguma opinião, demonstrou que quer falar sobre esse assunto? Se a resposta é não, por que não falar de outras coisas? De filmes, séries, novelas, livros, política, contatinhos, receitas, memes, separação dos famosos e sua repercussão nas redes…sabe? Tem uma infinidade de coisa pra gente papear. ☺️

Enfim, pretendo trazer mais esse tema por aqui, e, enquanto não tomo minha decisão, fiz uma seleção de conteúdos que considero interessantíssimos. Repasse para aquela sua amiga que está em dúvida como eu, ou que não quer ter filho e ainda está com medo de assumir publicamente essa posição. 


PODCASTS

Maybe Someday

Calma, gente horrível

Na Morada – Tatiana Vasconcellos

Precisamos falar: Maternidade

Elas com Elas # 21 – Ser mãe ou não ser

Bom dia, Obvious

#14 / instinto materno: será que bate?


LIVRO

Foto: Reprodução

SÉRIE DE REPORTAGENS

Guardian’s Childfree series

https://www.theguardian.com/us-news/series/childfree


Foto principal: Markus Spiske | Pexels



2 Comments

  1. Sua maravilhosa. Um texto tão necessário. Tantas coisas que eu queria dizer mas estavam emboladas na minha cabeça, e vc desenrolou tudo de uma forma incrível. Obrigada!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *