Se você soubesse que entre as pessoas que fazem dieta, de 90% a 95% voltam ao peso inicial, ou, pior, engordam, você passaria por tanto sacrifício?

Bom, eu não faria nem se não conhecesse este dado, porque não consigo ser feliz fazendo dieta. 

Se você é do meu time, vai entender a alegria que senti ao conhecer  Sophie Deram, uma nutricionista que defende o comer com prazer, de forma saudável, sem gula, mas também sem culpa. 

É mais ou menos tudo que acredito e tento praticar, com a diferença é que ela é uma PhD, e eu, só curiosa mesmo!

Sophie me encantou de cara quando nos conhecemos, por acaso, em um evento sobre alimentação. 

A forma leve como ela fala sobre os hábitos alimentares vai contra todo este radicalismo e os modismos tão comuns hoje em dia, nos Instagrans da vida. 

Nesta segunda-feira (15), ela lança o livro O Peso das Dietas – Emagreça de forma sustentável dizendo não às dietas, na Livraria Cultura do Conjunto Nacional, em São Paulo, no qual dá dicas de como construir essa relação mais ‘paz e amor’ com o ato de comer.

Francesa e naturalizada brasileira, ela é doutora em endocrinologia, pesquisadora no ambulatório de obesidade infantil e transtornos alimentares no Instituto da Criança e no Hospital das Clínicas. 

Também é especialista em comportamento alimentar e ativista contra as dietas restritivas, do tipo que fala em alto e bom tom: fazer dieta engorda! Na entrevista a seguir, ela conta porque anda remando contra a maré no que ela chama de ‘terrorismo nutricional’. Confira. 

Foto: Facebook/Reprodução

Você costuma dizer que as dietas, em longo prazo, fazem com que as pessoas ganhem peso. Como isso pode acontecer?
São dados que estão aí, na ciência, não fui eu que inventei. Eles mostram que de 90% a 95% das pessoas que fazem dietas voltam ao peso inicial ou engordam. Em um estudo de 2012, foram comparados gêmeos idênticos, sendo que só um fez dieta. 

Ao final de estudo, o que fez dieta engordou, com genes idênticos. Então é isso, quanto mais você faz dieta, mais tem risco de engordar. O autor dessa pesquisa diz que fazer dieta é provavelmente a causa da epidemia de obesidade e hoje.

Por que isso acontece?
A dieta faz o cérebro ficar em estado de alerta, porque ele acha que você está em perigo. O nosso cérebro não entende a cultura da magreza. Ele entende sim é que alguma coisa está errada. Então, ele vai dobrar o esforço para você ter mais apetite. Só que você não dá comida para o corpo. 

E o que este comportamento pode causar?
Quando você passa fome, você aumenta a obsessão por alimentos e o comer por motivos emocionais. Isso já foi mostrado com adultos e crianças. As crianças que mostram estresse comendo é porque já fizeram dieta ou têm pais muito restritivos. 

Nós temos o equilíbrio da saciedade quando nascemos. O bebê chora quando tem fome, e para de chorar quando está bem. Fazendo dieta, você mexe nesse equilíbrio.

“A dieta faz o cérebro ficar em estado de alerta, porque ele acha que você está em perigo. O nosso cérebro não entende a cultura da magreza. Ele entende sim é que alguma coisa está errada. Então, ele vai dobrar o esforço para você ter mais apetite”

Quando você começou a relacionar o comportamento à nutrição?
Quando me formei, eu achava que para emagrecer era só fechar a boca e malhar. Trabalhei com crianças obesas, e via algumas com a maior vontade, o maior desempenho, que não conseguiam emagrecer. Percebi que não era tão simples como tinham me explicado na faculdade.

Então fui para psquiatria, trabalhar com pacientes que têm transtorno. E eu percebi que todos os pacientes que vinham com algum transtorno alimentar começaram com uma dieta. 

Então a dieta leva ao transtorno?
Não, não é todo mundo que faz dieta que vai desenvolver um transtorno alimentar. Mas todo mundo que tem transtorno começou com dieta. O risco de desenvolver transtornos alimentares depois de dieta aumenta 18 vezes. É um dado extremamente importante porque o que está acontecendo hoje é um terrorismo nutricional.

Por isso comecei a falar mais alto. Cuidado, fazer dieta não vai fazer você emagrecer, mas vai deixar você com uma relação muito distorcida com o alimento. 

Algumas dietas da moda, de certa forma, fazem emagrecer. O que trazem de negativo?
As dietas fazem emagrecer, mas fazem você ficar muito mal, porque é um controle muito grande da sua vida. Elas trazem autoestima baixa, porque você só vai conseguir emagrecer no começo, depois não mais. E não é sua culpa, é que o corpo não deixa. Aumenta a ansiedade, e também o risco de depressão. O corpo está mal, porque não está recebendo todos os nutrientes. 

Influencia na forma de se enxergar os alimentos?
Sim, provavelmente vai ter medo de comer certos alimentos. Isso por si só não é um transtorno alimentar, mas é uma vida muito estressante.

 “As dietas fazem emagrecer, mas fazem você ficar muito mal, porque é um controle muito grande da sua vida. Elas trazem autoestima baixa, porque você só vai conseguir emagrecer no começo, depois não mais. E não é sua culpa, é que o corpo não deixa” 

Para quem quer abandonar as dietas de vez, e começar aos poucos a construir uma relação mais equilibrada com a comida. Que dicas você daria?
Eu tenho três dicas. Uma é não fazer dietas. A outra é comer alimentos mais verdadeiros, aumentar os alimentos naturais. 

E também cozinhar, levar lanche caseiro ao invés de levar tudo empacotado. Colocar uma rotina, não beliscar, fazer café da manhã, almoço, café da tarde e jantar. E se achar que está com alguma falta de controle, procurar ajuda.

Passar a comer com mais prazer, e com menos culpa, acho que também ajuda, né?
Sim, o nutriente é tão importante o comportamento. Você pode comer um bolo de chocolate, com devagar e com prazer, e isso não vai te engordar. Os franceses colocam muito prazer no ato de comer. Mas eles se satisfazem mais cedo, não têm este estresse da culpa de forma permanente. 

O brasileiro fica entre o francês e o americano, porque ele ainda tem o prazer de comer, mas ainda tem muito estresse.  

“O risco de desenvolver transtornos alimentares depois de dieta aumenta 18 vezes. É um dado extremamente importante porque o que está acontecendo hoje é um terrorismo nutricional”

No livro você dá dicas de receitas, certo?
Isso. Metade do livro é teórica, e a outra metade prática. São receitas bem simples. Quando decidi fazer o livro, mandei e-mail para amigos meus do mundo inteiro, perguntando: o que você faz em casa de fácil, rápido e gostoso?

Então tem receitas minhas e de amigos, além de dicas para organizar a cozinha, sempre tentando simplificar. Chamo isso de ‘gastronomia urbana rápida’. 

O livro traz os seus sete segredos para uma melhor relação com a alimentação. Do que eles tratam?
Na verdade, quando pensei em tudo o que a gente precisaria olhar para recuperar a saúde como um todo, vi que não só a relação com a comida era importante. Mas também fazer as pazes com seu corpo, dormir mais, cozinhar, praticar atividades físicas.

Não é só calcular calorias. Isso com certeza não vai fazer você comer bem. Também não é fechar completamente a boca, ou simplesmente comer de tudo. É uma coisa mais holística.

Eu já mandei pacientes embora do consultório, dizendo para voltar só quando passasse a dormir melhor. É preciso escutar o corpo. 

Serviço
O que: lançamento do livro O Peso das Dietas (editora Sensus)
Quando: 15/12/2014, às 18h30
Onde: Livraria Cultura do Conjunto Nacional
Alameda Santos, 2152, loja 122